quarta-feira, 10 de junho de 2009

São João



São João, da-ra-rão
Tem uma gaita, ra-rai-ta
Quando toca, ra-ro-ca
Bate nela...

Todos os anja-ra-ran-jos
Tocam gaita, ra-rai-ta
Tocam gaita, ra-rai-ta
Aqui na terra.


Chegou uma das épocas mais festivas e alegres do ano.

A casa repleta de bandeirinhas.

A sopa de fubá no jantar.

O conto "A menina da Lanterna" sendo repetido antes de dormir.

Aqui em casa, reescrevi o conto da Menina da Lanterna.

Minha menina é menino e o mote da saída dele com a lanterna é a necessidade de levar o recado aos os homens que estão em cima da montanha com a fogueira armada, esperando o nascimento de João para acendê-la e avisar Maria, a prima de Isabel e mãe de Jesus, que mora no vale, sobre seu nascimento.

Assim, o menino está do lado de fora da casa de Zacarias, esperando o primeiro choro de João, assim que o escuta, uma das mulheres lhe dá uma lanterna para que ilumine o caminho e leve o fogo aos homens. No trajeto, ele encontra vários animais e pessoas e as avisa do nascimento de João.

Lá no vale, Maria olha a montanha na noite estrelada, a espera do sinal.

Quando o menino chega levando o fogo aos homens a fogueira é acesa e a Mãe de Jesus sabe que o anunciador está entre eles.

Gosta da versão, fala mais ao meu coração do que a história original.

Nenhum comentário:

Postar um comentário